top of page

Centro Palmares e ABAM na 10ª Assembleia da Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Imaterial na Sede da Unesco em Paris

Fotos: ASCOM Centro Palmares



Paris, França - 12 de junho de 2024


Aconteceu, nos dias 11 e 12 de junho de 2024, a 10° Assembleia da Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Imaterial, O Centro Palmares, desempenhou um papel importante ao apoiar e assessorar a ABAM, esta colaboração destacou a importância das políticas de salvaguarda do patrimônio imaterial brasileiro e colocou as Baianas de Acarajé como parte do Comitê Internacional da Unesco. O Centro Palmares, representado pela presidente Tatiane Souza, Danilo Moura, Coordenador do Conselho Político Estratégico e membro da RIBIR, Vanessa Castañeda da Coordenação de Assuntos internacionais e Rita Santos, Presidente da Associação Nacional das Baianas de Acarajé e Mingau - ABAM.


A primeira agenda, ainda no dia 11, foi o Encontro com o Escritório da Delegação Permanente do Brasil junto à Unesco que focou em discussões com o escritório da Unesco sobre a inclusão das baianas na lista de bens imateriais e a participação no comitê, composto por 58 Organizações da Sociedade Civil de todo o mundo, além de explorar parcerias para futuras ações em rede. Este diálogo foi fundamental para avançar no processo de reconhecimento e salvaguarda das tradições das baianas. Segundo Danilo Moura:

"Este é um momento de grande importância e alegria. Ver o reconhecimento internacional das baianas e da defesa de nossa cultura é um marco significativo."

Danilo Moura

Coordenador do Conselho Político e Estratégico do Centro Palmares


Fotos: ASCOM Centro Palmares


A Delegação Permanente do Brasil junto à Unesco ofereceu um Coquetel de Boas-Vindas para receber a ABAM e o Centro Palmares, bem como o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Durante o evento, Rita Santos da ABAM discursou sobre a importância do reconhecimento das baianas de acarajé como patrimônio imaterial brasileiro. Leandro Grass, presidente do IPHAN, também fez uma intervenção sobre o tema, destacando o apoio ao fomento de políticas de salvaguarda.

"O engajamento da sociedade civil é fundamental para fazer avançar a implementação da Convenção, e termos acreditada uma ONG como a ABAM, que tem uma trajetória na luta pela igualdade de raça e de gênero, é motivo de alegria e de esperança."

Paula Alves de Souza

Embaixadora, Delegada do Brasil junto à UNESCO



Fotos: ASCOM Centro Palmares


O Processo de Escolha do Comitê Internacional da Unesco foi a terceira, e mais importante, agenda, onde a ABAM foi a única representante brasileira presente. Este encontro incluiu uma reunião com o presidente do IPHAN, reforçando a presença brasileira no centro das conversações sobre políticas internacionais do patrimônio imaterial.


Pesquisadora no Davidson College e com um amplo histórico de pesquisa e ações sobre as baianas de acarajé, Vanessa Castañeda, também do Centro Palmares, destacou o reconhecimento das baianas como patrimônio.

"As baianas são fundamentais para a valorização da nossa cultura. Elas representam um legado vivo, feminino e negro que merece ser protegido e celebrado."

Fotos: ASCOM Centro Palmares


Na oportunidade, foi feito um conjunto de bilaterais com delegações de países africanos, a fim de que sejam reforçados os laços e  estabelecidos os marcos de colaboração mútua. Uma das pautas presentes foi a apresentação conjunta pelo Brasil e mais três países africanos para o pedido de reconhecimento do Ofício das Baianas de Acarajé como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.


Fotos: ASCOM Centro Palmares


O Ministério da Igualdade Racial (MIR), com ações diretas e cruciais da Ministra Aniele Franco e de Yuri Silva, Secretário do Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial, foi essencial na garantia da presença do Centro Palmares e da ABAM na convenção.

"O ofício das baianas é um legado brasileiro de imensa importância. Reconhecer e valorizar este patrimônio é um ato de reparação histórica e reforça o compromisso do governo brasileiro com a preservação e valorização dessas tradições fundamentais para a identidade brasileira.”

Yuri Silva

Secretário do Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial


A participação do Centro Palmares e da ABAM na Assembleia da Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Imaterial tanto é um testemunho do contínuo esforço em prol da preservação das tradições culturais brasileiras, quanto uma ação estratégica na política nacional de reparação e promoção da igualdade racial. O Centro Palmares agradece a todos os envolvidos na realização da convenção e pelo convite para a nossa participação e recepção. Este evento sublinha a importância de políticas de salvaguarda e a colaboração entre diversas instituições para alcançar esse objetivo.

95 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page