top of page

Centro Palmares e grupos de mães de famílias atípicas realizam 3° Ato em Salvador



Hoje dia 11 de outubro, véspera do Dia das Crianças, aconteceu em Salvador o 3° ato em prol de crianças e adolescentes autistas, o Centro Palmares e grupos de famílias atípicas reuniram-se em frente ao Centro de Referência Estadual para Pessoas com Transtorno do Espectro Autista (CRE-TEA), localizado no bairro do Campo Grande, em Salvador.



No ato as próprias mães das crianças falaram sobre o CRE-TEA e denunciaram a precariedade no fornecimento de tratamentos multidisciplinares essenciais para o desenvolvimento das crianças e adolescentes, a situação se tornou ainda mais grave quando não foi mais permitido que as crianças e adolescentes entrassem na fila de espera para os tratamentos, causando uma indignação a mais para mães e redes de apoio. O ato de frente ao CRE-TEA que encontrava-se fechado reforçou o descaso em relação à essa situação, sendo um dos poucos espaços de atendimento para autistas na cidade.



Uma das mães desabafou durante a manifestação:

“A gente veio aqui hoje para que o CRE-TEA, de fato, referencie o autista que procura a unidade, porque nem para escrever o nome na lista de espera ele está conseguindo mais. E a gente quer saber por quê? Todo dia um autista é diagnosticado nesta cidade. E essa pessoa? Não vai poder procurar nem um centro de referência?”

A manifestação é a terceira realizada desde a vitória na justiça com a ação coletiva que garante o imediato atendimento para crianças e adolescentes autistas em todo o estado da Bahia, na rede pública ou privada, o Centro Palmares através das Presidenta Tatiane Souza vem realizando reuniões com os grupos de mães ao longos dos últimos meses, ao passo que mais mães e grupos se reúnem, vai se descobrindo uma situação social cada vez mais difícil e emergente no estado, são pais e mães que deixam de trabalhar para poder cuidar os filhos e ir atrás de tratamentos que são extremamente importantes para que as crianças com TEA não regridam em seus desenvolvimentos motores, psíquicos e sociais.



Em resposta às denúncias, a Secretaria Estadual da Saúde (SESAB) emitiu uma nota, alegando que as secretarias estaduais da Saúde, Justiça e Direitos Humanos e Relações Institucionais têm dialogado com as famílias e as Associações de Mães de pacientes com TEA, visando atender às demandas, estabelecer prioridades e encontrar soluções em conjunto com os municípios.


O comunicado ainda ressaltou o diálogo permanente com as mães a frente do movimento, mas segundo as próprias mães, nas reuniões recentes ainda não foram apresentados planejamentos específicos para o cumprimento da ação coletiva e a garantia dos tratamentos. Em contrapartida as próprias mães fizeram um planejamento elucidando os principais problemas e metas de soluções a curto, médio e longo prazo.




Reportagem do Ato


326 visualizações1 comentário

1 Σχόλιο


Lilian Li
Lilian Li
11 Οκτ 2023

Respeito... Não são desordeiras são mães que todos os dias lutam para que seus filhos tenham tratamento adequado e constante. Cobrar dessas mães todos sabem, mais fazer por elas e seus filhos ninguém quer... Governo do estado chame a polícia para qu merece não para mulheres que geram vida assim como as que geraram.cada um de vocês. Respeitem a criação de Deus.

Μου αρέσει
bottom of page